Comunicados de imprensa

Uso da internet por crianças pressionam 90% dos pais no Brasil para antecipar "conversas", antes do previsto

Descobertas da Avast mostram que a exposição a material adulto é a preocupação número um entre mães e pais no Brasil.


Brasil, 1 de junho de 2021 - A Avast, líder global em produtos de segurança digital, anuncia descobertas que mostram que a maioria dos pais no Brasil vêm enfrentando pressões crescentes para antecipar conversas importantes com as crianças sobre sexo e relacionamentos, antes que estes temas sejam abordados nas escolas. 

Como parte de uma pesquisa global, a Avast descobriu que 90% dos pais no Brasil concordaram que a internet acelerou as conversas sobre sexo com as crianças. A companhia descobriu que nove em cada dez pais (90%) citam a exposição não intencional a material adulto como uma de suas maiores preocupações sobre o uso da internet por seus filhos. Cerca de 61% das crianças que admitiram ter experiências ruins no universo online durante a quarentena, dizem que foram expostas a conteúdo ofensivo, rude e adulto.

Mais da metade dos pais no Brasil (58%) já conversou com seus filhos sobre sexo, quando eles tinham 10 anos ou menos. Ao mesmo tempo, apenas quase um terço dos pais (32%) disse que havia planejado ter essa conversa com seu filho nessa idade.

As preocupações adicionais decorrentes do aumento do uso da internet incluem: 89% que se preocupam com o fato de seus filhos visitarem sites impróprios, sem sua permissão; e 63% dos pais dizem que costumam se preocupar que seus filhos vejam conteúdo online para adultos. Além disso, 26% afirmam que sua principal preocupação com o uso da internet por seus filhos é que eles poderiam estar expostos ou até mesmo participarem de sexting.

Sue Atkins, especialista e coach para pais no Reino Unido, destaca que: “Está claro que com mais tempo gasto dentro de casa e navegando no universo online, cresce a taxa de exposição das crianças a materiais adultos e inadequados. Ao mesmo tempo, a partir das descobertas da Avast, é positivo entender que os pais estejam tendo conversas francas e abertas com os seus filhos sobre sexo e relacionamentos.

"Quanto à abordagem das conversas com as crianças, é importante começar por entender o que elas já sabem. Dê os fatos a seus filhos e corrija qualquer informação incorreta que eles possam ter encontrado naquele momento. Se uma criança é exposta a um conteúdo online adulto e se sobre isso há perguntas, é realmente fundamental que os pais estejam preparados e à vontade para ter esse tipo de conversa com seus filhos, sentindo-se confiantes em responder suas questões de forma honesta e clara".

Peter Turner, CCO da Avast, ressalta: “Como pai, me preocupo com o tipo de conteúdo que as crianças podem encontrar inadvertidamente ao usar a internet. Há soluções tecnológicas como as da Avast e de outras empresas que podem apoiar os pais, porém são apenas metade da resolução. Os pais ainda precisam conversar com seus filhos sobre inúmeros temas da infância, incluindo os bots! A boa notícia é que sabemos, por meio da nossa pesquisa, que os pais estão tendo discussões abertas e positivas com os seus filhos, em um momento em que todos passamos muito mais tempo no digital".

Apesar dessas preocupações e pressões para ter conversas sobre sexo e relacionamentos antes do previsto, a Avast descobriu que os pais no Brasil estão tomando as devidas medidas para garantir que seus filhos permaneçam seguros e protegidos, e para educá-los sobre o que é (e o que não é) apropriado acessar e fazer no ambiente online. 

66% dos pais no Brasil conversam com seus filhos sobre o que é classificado como bom e mau comportamento online. 56% dos pais trabalham com seus filhos no sentido de concordar sobre o que é seguro fazer no universo digital, sites para visitar, aplicativos que têm permissão para utilizar.

Além de ter conversas francas e abertas com seus filhos, os pais também estão adotando ações adicionais para protegê-los. 36% dos pais garantem que definem os controles parentais em todos os dispositivos que usam, 60% dos pais no Brasil rastreiam regularmente o histórico de pesquisa de seus filhos e 33% só permitem o uso de dispositivos online em áreas comuns da casa, como a cozinha ou a sala de estar.

Dicas para que os pais encarem “a conversa” com seus filhos: 

  • Conversar com as crianças sobre sexo e relacionamentos é algo para a vida toda. Fazer um pouco de cada vez, em vez de “falar”, pode tirar a pressão sobre você e ajudar o seu filho a processar os seus valores e informações ao longo do tempo. Ter conversas regulares também reforça mensagens de que esses tópicos são importantes o suficiente para continuar sendo trazidos à tona e que fazem parte da vida normal.
  • Crie um espaço seguro para uma conversa. É importante que o seu filho se sinta bem em pedir a você informações confiáveis ​​e honestas. Portanto, seja sincero, confiante e esteja à vontade para falar sobre o tema.
  • Explique as coisas de forma que seu filho possa entender e certifique-se de que ele conheça os fatos.
  • Não tire conclusões precipitadas com relação aos motivos que estão perguntando e o que estão perguntando. Você pode dizer: "Diga-me o que você já sabe sobre isso?"
  • Mantenha suas respostas curtas e simples e, após dar uma resposta, mantenha a conversa aberta. Você pode dizer: "Que outras perguntas você tem?"
  • Verifique seu entendimento e pergunte: "Isso responde à sua pergunta?"